Uladislau Herculano de Freitas Guimarães

Nasceu o Dr. Uladislau Herculano de Freitas Guimarães no Arroio Grande, Província do Rio Grande do Sul, a 25 de novembro de 1865.

Assentou voluntariamente praça em 1883, no intuito de matricular-se na Escola Militar de Porto Alegre, como de fato aconteceu. Julgado, porém, fisicamente incapaz para o serviço do Exército, deu baixa, indo matricular-se na Faculdade de Direito de São Paulo em 1884. Transferiu-se para o Recife, em cuja Faculdade fez o 4º ano, mas voltou a São Paulo, recebendo o grau de bacharel em oito de março de 1889.
Casado com a filha do eminente político paulista, Gen. Francisco Glicério, fez longa carreira política, distinguindo-se também como advogado jornalista e tribuno.

Assim que a República foi proclamada exerceu o cargo de Chefe da Polícia do Paraná, chegando a ser, governador provisório, em 1890.

Nomeado lente substituto, da Faculdade de Direito em São Paulo, por Decreto de 30 de dezembro de 1890 tomou posse e recebeu o grau de doutor em 16 de janeiro de 1891. Por Decreto de 21 de março desse ano, nomeado lente catedrático, lecionando a 2ª cadeira da 1ª série de notariado, da qual tomou posse em 27.04.1891.

Foi deputado estadual, federal e senador estadual por São Paulo. Nomeado lente catedrático de direito criminal, passou em 10 de fevereiro de 1902 por permuta com o Dr. José Mariano Corrêa de Camargo Aranha, a catedrático de direito público e constitucional a 1º de maio de 1902. Permaneceu afastado da cátedra por efeito de suas obrigações políticas.

De 11 de agosto de 1913 a 15 de novembro de 1914, foi Ministro da Justiça do presidente Hermes da Fonseca.

Diretor da Faculdade de Direito de São Paulo (1915-17), tornou-se diretor efetivo por Decreto de 26 de março de 1917. Secretário da Justiça e Segurança Pública de São Paulo, na presidência Altino Arantes, foi Senador Estadual novamente em 1922 e logo Federal por São Paulo, funcionando como relator da reforma constitucional.

Em disponibilidade como catedrático da Faculdade de Direito de São Paulo (29 de agosto de 1925) e Ministro do Supremo Tribunal Federal a sete de dezembro do mesmo ano, faleceu no Rio de Janeiro a 14 de maio de 1926, em plena pujança mental.

Biografia: História biográfica da república no Paraná, de David Carneiro e Túlio Vargas, 1994.
Ilustração: Theodoro de Bona e Dulce Ozinski.

Recomendar esta página via e-mail: