Roberto Requião de Mello e Silva

ROBERTO REQUIÃO DE MELLO E SILVA, nascido em 05 de março de 1941, em Curitiba, filho do médico e ex-prefeito de Curitiba, Wallace Thadeu de Mello e Silva e Lucy Requião de Mello e Silva. Casado com a senhora Maristela Quarenghi de Mello e Silva, pai de Maurício Thadeu e Roberta. Formado em Direito pela Universidade Federal do Paraná e em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, cursou Urbanismo pela Fundação Getúlio Vargas.

Foi Deputado Estadual (1983-85), Prefeito de Curitiba (1986-89), Secretário do Desenvolvimento Urbano do Estado do Paraná (1989-90), Governador do Estado do Paraná (1991-95), Senador da República (1995-2002), Governador do Paraná (2003-2007) e eleito novamente Governador para mandato até 1º de janeiro de 2011. Como Senador, Requião teve a maior votação proporcional da história do Paraná.


PREFEITO DE CURITIBA (1986 - 1989)

Como prefeito de Curitiba, Requião instituiu a primeira Ouvidoria Geral do País. Alterou profundamente a estrutura administrativa da Prefeitura Municipal, com a criação das freguesias (sub-prefeituras) nos principais bairros da cidade, dando autonomia administrativa e financeira para a execução de obras. Implantou a frota pública de transporte coletivo. Construiu a Via Vêneto, ligando o bairro de Santa Felicidade ao centro de Curitiba. Também implantou o Mercadão Popular, para a venda de produtos da cesta básica para a população de baixa renda. Criou a Associação dos Meninos e Meninas de Rua de Curitiba (Assoma), revolucionando o tratamento das crianças de rua. Construiu o maior número de Postos de Saúde e de Creches da história da cidade, além de efetivar a participação popular na definição do Orçamento Municipal.



SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO URBANO DO PARANÁ (1989 - 1990)

No cargo de secretário de Estado, Requião implantou o Programa Paraná Urbano, que desenvolveu mais de 3 mil obras em todos os municípios paranaenses. No mesmo período, criou o Programa de Saneamento Ambiental no Paraná – Prosam, um dos mais importantes projetos para a área de saneamento do Estado.



GOVERNADOR DO PARANÁ (1991 - 1994) - 1º Mandato

Roberto Requião iniciou seu governo com a entrega dos títulos definitivos de propriedades aos agricultores de Pitanga, cuja posse arrastava-se há mais de 70 anos. Ele também implantou o Programa Casa da Família, que construiu mais de 60 mil casas com 52 metros quadrados, em alvenaria, com prestações que não ultrapassam 20% do salário mínimo. Em parceria com o Exército Brasileiro, construiu a Ferroeste, ligando Cascavel ao Porto de Paranaguá.

Outros programas marcaram sua administração, como o Panela Cheia, com financiamento de safras em equivalência em produto. Para os agricultores paranaenses, a moeda era o milho. Implantou ainda o maior programa de melhoria genética da história do Estado. Foram entregues aos criadores paranaenses 150 mil bovinos de leite e 330 mil ovinos, com matrizes de raças selecionadas.

Com recursos do Tesouro do Estado, duplicou a rodovia Curitiba/Garuva, acabando com o “Corredor da Morte”. Fez a ligação rodoviária do Sudoeste do Paraná com a Argentina, construindo a ponte Capanema-Andresito. Iniciou a construção da ponte Guaíra-Mundo Novo (MS), a maior ponte fluvial do Brasil, deixando o governo com 90% das obras realizadas. Concluiu a construção da Usina Hidrelétrica de Segredo, tornando o Paraná auto-suficiente em energia, e iniciou as obras da Usina de Salto Caxias.

As pequenas e médias empresas receberam apoio com o Programa Bom Emprego, que resultou na geração de mais de 150 mil empregos diretos. Além disso, as micro e pequenas empresas foram isentas de tributos estaduais.

Na educação, o governo Requião treinou professores e fez o maior programa de construção e recuperação de salas de aula. O programa Escola Oficina, para meninos e meninas de rua, foi levado a todo o Paraná. No primeiro governo Requião foram criados cinco parques ambientais, dobrando a área de preservação do Estado. Neste período, foi implantado o Programa Paraná Rural, que readequou estradas rurais e desenvolveu técnicas agrícolas para recuperação do solo, como combate à erosão, plantio de matas ciliares, recuperação de rios nas em todos os municípios do Paraná. Este programa tornou-se referência para o Banco Mundial em preservação ambiental e melhoria da produção agrícola.



SENADOR DA REPÚBLICA (1994 - 2002)

Como senador, Roberto Requião foi presidente da Comissão Parlamentar Conjunta do Mercosul, relator da CPI dos Títulos Públicos, emitidos para pagar precatórios. Presidiu a Comissão de Educação e Comunicação do Senado Federal e foi membro da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal. Requião desvendou a chamada Cadeia da Felicidade, com o fechamento de três bancos e 18 Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários. Apresentou mais de 20 projetos de lei, resoluções e portarias, disciplinando a emissão de títulos públicos, os fundos de pensão e estabelecendo punições para a lavagem de dinheiro de origem ilícita.

Apresentou o projeto de Lei para quebrar o sigilo bancário de todos os agentes públicos do Executivo, Legislativo e Judiciário e o projeto de Lei que garante a todo o cidadão direito de resposta quando agredido através de veículos de comunicação.



GOVERNADOR DO PARANÁ (2003 – 2007) - 2º Mandato

O segundo mandato de Roberto Requião foi marcado pelas políticas sociais e pela recuperação do Estado, que passou a ser um elemento importante na retomada do desenvolvimento paranaense. O programa Leite das Crianças garantiu um litro de leite por dia para cada criança de baixa renda. A Copel foi transformada de uma empresa à beira da falência numa empresa eficiente e com recursos em caixa para investimentos. O saneamento da empresa permitiu a implantação do programa Luz Fraterna, que isenta de tarifa os consumidores de baixa renda.

A Sanepar voltou ao controle público e tornou-se referência nacional em oferta de água e tratamento de esgoto, com uma tarifa social que beneficia mais de 1,4 milhão de paranaenses de baixa renda. O Porto de Paranaguá foi recuperado e tornou-se eficiente e lucrativo.

Os avanços na educação incluem a publicação e distribuição gratuita de livros didáticos; a criação do Portal da Educação, onde professores dividem experiências e ampliam seus conhecimentos; a compra de 40 mil computadores para as escolas; a ligação de toda a rede escolar com fibra ótica; a implantação de um plano de cargos e salários para os professores e grandes investimentos no ensino universitário público estadual.

Na área da Saúde, 24 hospitais foram reformados ou tiveram sua construção iniciada, assim como a de 126 Centros da Saúde da Mulher e da Criança, com o objetivo de derrubar os índices de mortalidade. A segurança pública ganhou um novo conceito, com a polícia comunitária atuando junto aos cidadãos.
A administração pública estadual recuperou mais de 5 mil quilômetros de estradas, sem cobrança de pedágio. A democratização do acesso à informática foi possibilitada com a opção pelos softwares livres, o que permitiu uma economia de R$ 147 milhões.

A política de incentivo às pequenas empresas deu resultados, beneficiando 172 mil com isenção total ou parcial do ICMS. Isso possibilitou a geração de 365.623 empregos formais até novembro de 2006, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho – nos oito anos do governante anterior foram criados 38 mil empregos formais. Os pequenos agricultores passaram a ter acesso a financiamentos, graças ao Fundo de Aval, que garante os empréstimos bancários. Essa iniciativa beneficiou 320 mil pequenas propriedades agrícolas.


GOVERNADOR DO PARANÁ (2007) - 3º Mandato

Biografia: Secretaria de Estado da Comunicação Social
Foto: Galeria do Salão dos Governadores do Palácio Iguaçu, reproduzida por Simone Fabiano.
Recomendar esta página via e-mail: