Governo estuda reativação de aeroporto de Cruzeiro do Iguaçu
23/09/2019 - 17:53

Prefeitos, empresários e deputados que representam municípios das regiões Sudoeste e Oeste participaram nesta segunda-feira (23) de reunião com o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, para tratar da reativação do aeroporto de Cruzeiro do Iguaçu.

Inaugurado em 2000 para apoiar a construção da Usina de Foz do Chopim, localizada entre os municípios de Itapejara do Oeste e Coronel Vivida, o aeródromo está há vários anos inativo. Ocupa sete alqueires e conta com pista de 1.500 metros de comprimento e 22 de largura, com áreas para manobra, estacionamento de aviões e carga e descarga.

“O aeródromo está numa região que precisa ser integrada. Pode ser uma alternativa para voos privados e, futuramente, ser incluído no Voe Paraná”, informou o chefe da Casa Civil. Guto Silva disse que o Estado vai avaliar as possibilidades para viabilizar o projeto, que pode ser a venda ou uma Parceria Público-Privada. “Vamos estudar qual a melhor modelagem para a reabertura do aeroporto. Estamos todos organizados para buscar uma solução.”

POTENCIAL - O prefeito de Capitão Leônidas Marques, Claudiomiro Quadri, destacou o potencial turístico e econômico da região, com grandes indústrias como a Sadia/BRF, a Pluma Agroavícola, a Araupel e a Piracanjuba, que está se instalando na região. “O aeroporto será uma alavanca para o nosso desenvolvimento”, disse.

Quadri preside o Consórcio Público dos Municípios do Procaxias, que une os municípios atingidos pela Usina Hidrelétrica Governador José Richa, conhecida como Salto Caxias. Ele explicou que a ideia é que o consórcio seja o gestor do projeto. Para isso, deverá inserir o aeroporto entre os itens contemplados no consórcio, e aumentar de nove para 11 os municípios participantes.

ÁREA VERDE - Caso seja aprovada a reativação do aeroporto, a manutenção da área verde será feita pela Foz do Chopim Energética. A empresa, responsável pela hidrelétrica Foz do Chopim, fica no município e tem a Copel como uma das acionistas. “O primeiro passo, agora, é autorizar a reativação do aeroporto”, disse o diretor técnico da Energética, Sérgio Cequinel. “A forma como isso vai ser feito será analisada. O que não podemos é deixar o aeroporto parado.”

Na reunião foi entregue ao governo um documento com a proposta de reativação do aeroporto assinado por 17 prefeitos da região e mais de 300 empresas.

PRESENÇAS - Também participaram os prefeitos de Dois Vizinhos, Quedas do Iguaçu, Salto do Lontra e Cruzeiro do Iguaçu; os deputados estaduais Tiago Amaral, Paulo Litro e Artagão Junior; o diretor-presidente da Agência Paraná Desenvolvimento, José Eduardo Bekin, e o diretor-presidente da Ferroeste, André Luis Gonçalves.