Visita Virtual ao Palácio Iguaçu

O Palácio Iguaçu, sede do Governo do Paraná, deve sua designação ao rio de mesmo nome, que corta o Estado de Leste a Oeste e cuja nascente fica no entorno da capital Curitiba. Na sua foz estão as famosas Cataratas do Iguaçu, uma das sete maravilhas naturais do Planeta.

O edifício - inaugurado em 1954 pelo governador Bento Munhoz da Rocha Neto em comemoração ao Centenário de Emancipação Política do Paraná - está no ponto mais alto do primeiro Centro Cívico criado no Brasil.

Além da sede do Poder Executivo estadual, a região reúne um importante conjunto arquitetônico, formado por prédios da Assembleia Legislativa do Paraná, do Tribunal de Justiça do Paraná e a Prefeitura de Curitiba. No centro das edificações está a Praça Nossa Senhora Salete.

Obra do engenheiro e arquiteto paranaense David Xavier de Azambuja, o Palácio Iguaçu tem 15.191 metros quadrados e também foi projetado para ser a residência oficial do governador. Hoje, o prédio abriga a estrutura de Governadoria do Estado do Paraná, maior nível hierárquico da administração estadual.

Na língua tupi-guarani, um dos povos indígenas que já habitava o território paranaense antes da chegada dos europeus no século XVI, a palavra Iguaçu significa Água Grande.

Faça uma visita virtual ao Palácio Iguaçu, conhecendo um pouco de seus ambientes:

 
Visão Panorâmica

Projetado pelo engenheiro e arquiteto paranaense David Azambuja, foi construído durante a gestão de Bento Munhoz da Rocha Neto (1951/1955) e inaugurado pelo então Presidente João Café Filho, no dia 19 de dezembro de 1954, durante os festejos de Primeiro Centenário, contados desde a Emancipação Política do Estado do Paraná.

O Palácio Iguaçu está localizado e pertence ao projeto do Centro Cívico. Esse espaço da capital foi traçado pelo arquiteto paranaense Francisco Villanova Artigas e é o primeiro bairro do Brasil criado especialmente para abrigar prédios e repartições públicas, integrando assim, em uma mesma zona urbana, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do governo. Como edifício do Executivo, o Palácio Iguaçu tem área construída de 15.941 m² distribuída em quatro andares funcionais distintos.

 

 

Na esplanada frontal ao prédio, dominada pela fachada funcionalista, em vidros e com um único balcão externo, destacam-se as bandeiras cívicas, os desníveis monumentais em degraus e os amplos jardins da praça Nossa Senhora Salete, em torno da qual se organizam os edifícios dos três poderes.

Na parede externa à esquerda do Palácio, para quem está de frente para a fachada principal da praça, o consagrado artista plástico Napoleon Potiguara Lazzarotto - Poty executou o mural "Paraná", medindo 6,50mx17,30m e onde estão registradas as origens do estado, em diversos momentos da sua História e nas perspectivas do seu desenvolvimento, tanto político quanto social e econômico.

 

 

 

Nos jardins posteriores ao Palácio encontra-se esculpido no piso, por Miguel Roger e em alto relevo, o mapa do Paraná, onde podem ser observados, em escala cartográfica, os três planaltos do relevo estadual, a Serra do Mar e o litoral, propiciando aos visitantes a noção exata do suporte natural existente em 200 mil Km². A vegetação ali é austera e baixa, com gramas e arbustos.

 

 
Hall de entrada

O primeiro ambiente que o visitante avista ao entrar no Palácio Iguaçu é o Salão Monumental. O espaço costuma ser utilizado para grandes solenidades abertas ao público e também para exposições e mostras.

Com um pé direito da altura de dois andares, o ambiente tem piso de mármore e uma grande escada em caracol, que dá acesso ao piso superior.

Um enorme painel de arenito decora uma das paredes do salão, de cima a baixo. Esculpido em baixo relevo pelo artista plástico Humberto Cozzo em 1953, o mural representa os diversos ciclos econômicos da história do Paraná.

Hall de Entrada
Hall de entrada
Hall de entrada - Painel de Humberto Cozzo

 

O salão também é decorado por bustos de Dom Pedro I, Barão do Rio Branco e de Getúlio Vargas. Ainda no andar térreo do Palácio Iguaçu, à direita do hall de entrada, está instalada a Capela Nossa Senhora do Rocio, ambiente de reflexão e espiritualidade.

Hall de Entrada
Capela
Capela

Fotos: Márcio Irala

 

 
Salão Nobre

No segundo piso do Palácio Iguaçu está o Salão Nobre, um ambiente destinado aos atos mais solenes da Governadoria e recepções para embaixadores e chefes de estado. Decorado com mobiliário em estilos Luiz XV e Luiz XVIII, abriga uma coleção de objetos de arte com diversas procedências, entre os quais um grandioso e rico jogo de porcelanas.

No espaço central do Salão está instalado um painel em óleo sobre tela, que representa a instalação da Província do Paraná. O quadro foi pintado pelo consagrado artista plástico paranaense Theodoro De Bona, nascido na cidade de Morretes e discípulo de outro expoente da arte no Paraná, Alfredo Andersen.

Uma das paredes sustenta uma tapeçaria em Gobelin, datada de 1650, que representa o cônsul romano Décio se preparando para a guerra. Também chamam a atenção os lustres e os espelhos laminados em ouro e os cristais Baccarat.

 

Quadro existente no Salão Nobre

 

Fotos: Márcio Irala

 

 
Salão de Inverno

O Salão de Inverno também é um dos ambientes do segundo piso do Palácio Iguaçu. A sala ampla foi projetada para receber recitais, reuniões informais e eventos mais festivos.

Suas paredes exibem painéis que reproduzem as gravuras do Brasil Colonial criadas por Johann Moritz Rugendas, um desenhista alemão que visitou o Brasil em 1821.

Outra peça em destaque é a tapeçaria “Sol do meu Sol”, executada pela artista portuguesa Concessa Colaço. No espaço também está instalado o quadro Cataratas do Iguaçu, de 1920, do artista brasileiro Antônio Parreiras.

 

Escukltura existente no Salão de Inverno

 

 

 

 Fotos: Márcio Irala 

 

 
Salão de Jantar

O Salão de Jantar do Palácio Iguaçu era conhecido como Salão Vermelho em razão da antiga cor do mobiliário. Atualmente o local é mais utilizado para reuniões governamentais. Neste espaço são servidos os almoços, jantares e coquetéis oficiais.

Uma grande pintura em óleo sobre tela do pintor paranaense Artur Nisio compõe o ambiente. A obra retrata a chegada do primeiro Presidente da Província do Paraná - Zacarias de Goes e Vasconcelos – na cidade de Curitiba, em 1853.

A decoração conta ainda com uma obra do também paranaense Poty Lazzarotto. O artista entalhou em madeira o impressionante painel “Homem na Lavoura”, onde expõe os ciclos da erva-mate, pecuária, café, madeira, ouro e da recente industrialização do Paraná, épocas que marcaram a trajetória econômica do Estado.

Decoração com pinha - fruto nativo do Paraná cujas sementes são comestíveis e conhecidas como PINHÃO.

 

Quadro existente no Salão de Jantar
“CHEGADA DE ZACARIAS DE GOES E VASCONCELOS” - NISIO, ARTHUR JOSÉ
“TRABALHO NA LAVOURA” – 1959 – NAPOLEON DE POTYGUARA LAZZAROTTO – POTY

 

 

 

 
Petit Comitê

Um sala restrita para recepção de pequenos grupos de convidados do governador recebeu o nome de Petit Comitê. Localizado ao lado do Salão de Inverno, o ambiente é decorado por lustres superiores, em cristal de Baccarat, e pelo quadro “Cataratas do Iguaçu”, pintura que retrata Tarobá e Naipi, personagens do folclore indígena paranaense.

A obra foi concebida de memória, na França em 1920, pelo artista brasileiro de Niterói Antônio Parreiras que, em uma de suas visitas ao Brasil, ficou impressionado com as Cataratas do Iguaçu, assim como com as lendas do lugar.

Outras obras presentes nesse espaço são: “Interior de Estábulo”, do holandês Dijk Win L. Van; “Mercado Modelo de Salvador”, do paulista Ianelli Arcângelo; “Paisagens com Pinheiros”, de Bassi Torquato Itália; e “Nevada” de J.B. Martinez.

“CATARATAS DO IGUAÇU” – 1920 – PARREIRAS, ANTONIO DIOGO DA SILVA

 

 

 
Salão dos Governadores

O segundo andar do Palácio Iguaçu, idealizado para recepções e cerimônias oficiais, abriga também o Salão dos Governadores, destinado para reuniões administrativas.

Em suas paredes está uma galeria de retratos, pintados a óleo, que registra todos os chefes do Poder Executivo que tomaram posse no Paraná. Os quadros estão instalados em ordem cronológica, desde a Proclamação da República.

Precedendo o espaço, chama a atenção o belo piso em mármore, onde se destaca um desenho da rosa dos ventos. No interior da sala fica um imponente lustre de cristal.

Ao lado do salão foi instalado o Gabinete de Gestão e Informações (GGI), que conta com alta tecnologia para acompanhamento das ações de Estado.